O Julgamento politicamente correto

A selva só falava nisso. Os herbívoros haviam cometido crimes ambientais. A acusação sobre os ruminantes era pesada. O tribunal, repleto de simpatizantes pró-ecologia, já cantava vitória. A pena capital era uma certeza. O que se questionava era o modo: com o rifle do caçador ou com veneno.

Ao centro do grande salão, o Magistrado Coruja tendo a sua direita o temível promotor, o acusador, Leo Juba. Os ruminantes escalados na parte de baixo da cadeia alimentar não tinham dinheiro para contratar defensores. Zebra, o presidente do sindicato dos herbívoros faria a defesa:

Vamos dar início à sessão. Silêncio, por favor. O Ministério Público relata que crimes hediondos contra a natureza vêm sendo perpetrados pelos seres ruminantes. Seus hábitos não se coadunam mais com uma sociedade que busca um crescimento sustentável onde bichos e natureza vivam em harmonia. Agora a acusação e a defesa terão a palavra.

Obrigado V. Exa. É sabido que os ruminantes gostam de alimentos verdes o que acaba gerando redução de fontes geradoras de oxigênio. Além disso, com a redução das plantas, criam-se terrenos áridos que combinados com o sol impiedoso das savanas aumentam as chances de incêndios. Por fim, V. Exa, já é provado pelos cientistas que o hábito de ruminar aumenta a quantidade de CO2 na atmosfera. Temos a propagação do efeito estufa e o incremento do buraco da camada de ozônio. É o que tinha para expor, V.Exa. Peço a penal capital para todos os ruminantes.

V. Exa, não sei como defender os membros de meu sindicato. Herdamos esses costumes de nossos ancestrais. Nunca tínhamos parado para pensar que éramos tão danosos ao planeta. As provas são irrefutáveis. Talvez seja a primeira vez na história desse tribunal que o defensor concorda com o acusador. E em gênero, número e grau. Suplico pela morte por veneno, menos dolorosa. O sindicato não gostaria de ser alvo dos nossos algozes históricos. Mas fico com uma dúvida, V. Exa. Como se alimentarão os carnívoros?

O auditório murmurou assustado. O sussurro virou balbúrdia.

Entre a gritaria, pode se escutar Vista, V. Exa. Peço vista de todo o processo.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O autor deste site reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.