estratégia de investimento

Vale: o risco do investimento da Previ

A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, participou ativamente das privatizações da década de 90. A mineradora Vale passou à iniciativa privada em 1997 com a vitória do consórcio Brasil composto por CSN, Previ, Petros, Funcef e outros investidores. A participação dos fundos de pensão nas privatizações da época foi incentivada pelo governo federal de forma a gerar concorrência entre os interessados.

A expressiva valorização das ações da Vale desde então e o impedimento de vender suas ações fez com que a Previ concentrasse 25% do seu patrimônio em ações da empresa. Essa posição fere o princípio da diversificação impedindo uma melhor composição entre risco e retorno. Há alternativas para redução da exposição a Vale mesmo sem se desfazer das ações.

Continuar lendo

Estratégia de Buffett desagradaria os brasileiros

No livro Essays of Warren Buffett – Lessons for Corporate America, Lawrence Cunnigham organizou as cartas anuais da Berkshire Hathaway, veículo de investimento de Buffett, por temas. As ideias do conhecido investidor americano sobre dividendos se encontram no capítulo Common Stocks. Como sempre suas ideias fogem do senso comum.

Continuar lendo

Como medir a governança corporativa?

A governança corporativa se assenta em conceitos subjetivos como, por exemplo, o alinhamento entre controlador e minoritário.  Mas como quantificá-la?

Existem benefícios de as companhias serem transparentes, pois facilita a captação de recursos por intermédio de dívida ou emissão de novas ações o que ajuda a impulsionar o valor econômico no médio prazo. Mas quais itens relacionados à governança o investidor deve observar antes de comprar a ação de uma companhia?

Continuar lendo

O estranho e peculiar mundo das incorporadoras

A indústria imobiliária apresenta diversas particularidades. A começar pelas regras contábeis. Atributos importantes para a maioria das indústrias como economias de escala e diversificação geográfica simplesmente não funcionam na indústria de construção. Assim, analisar as empresas do setor com a mesma ótica utilizada para outros segmentos pode redundar em conclusões equivocadas. O que deve ser observado ao analisar o setor? Quais conclusões podemos tirar? A teoria de finanças consegue explicar o segmento ou estamos diante de um paradoxo?

Continuar lendo

O que “temer” com seus investimentos?

Apesar da impopularidade, da falta de legitimidade e das fortes suspeitas de ilícitos que pairam sobre o atual presidente, medidas econômicas sensatas faziam os indicadores econômicos melhorarem como a queda do risco país, o fortalecimento da moeda nacional, a diminuição da inflação e a redução dos juros. Com a perspectiva da recuperação da situação fiscal, alguns ativos financeiros apresentaram excelente rentabilidade durante a gestão de Michel Temer como os títulos públicos de longo prazo indexados a inflação e a bolsa, por exemplo. Mas a delação da JBS parece ter posto um fim no atual governo.

Se o governo Dilma foi desastroso, seus defensores são criativos na criação de slogans. O título da coluna faz a paródia de um deles. Então, quais seriam as melhores opções para seus investimentos com o provável fim do governo Temer? Continuar lendo