Posts do autor Andre Rocha

O raro brasileiro prudente, os imprudentes e a reforma da previdência

Se fizermos uma rápida consulta ao Google1, descobrimos que o termo “previdência” refere-se à: (i) capacidade de antever o futuro, cujos sinônimos são presságio, antevisão, prognóstico e (ii) prudência e precaução em relação ao futuro que pode ser substituído por prudência, precaução, diligência. Será que os que reagem contrariamente à reforma da previdência estão sendo prudentes?  O diagnóstico que fazem da situação financeira da previdência social é isenta? E o impacto dessa reforma para os investimentos?

Continuar lendo

A alma imoral das “start ups”

O rabino Nilton Bonder, em seu livro “A Alma Imoral”, mostra que o ser humano luta constantemente entre duas forças antagônicas: a tradição e a traição. A primeira leva o homem a privilegiar a rotina, o antigo. É seu instinto de preservação. Ao mesmo tempo sua alma é tentada a romper com o passado, buscando o aprimoramento, a evolução. As “start ups” representam essa faceta revolucionária, traidora. Contudo, o desafio para entendê-las é enorme.

Continuar lendo

Pseudoprivatizações: qual a intenção do governo?

O forte crescimento dos gastos públicos nos últimos anos tornou a máquina estatal maior do que seu orçamento. Isso ocorreu no âmbito da União e em diversas federações. Com a receita tributária ainda capenga devido à fraca recuperação da economia, os governos tentam transferir para o setor privado alguns de seus ativos. Mas os processos demonstram que essas alienações não decorrem da convicção ideológica de que a empresa pública se tornará mais eficiente nas mãos privadas o que melhorará a produtividade da economia. O intuito é apenas arrecadar caixa para cobrir o rombo do orçamento público. Os processos de alienação das ações da BR distribuidora e da Banrisul, cujos controles permanecerão com os entes públicos, apenas refletem esse pensamento.

Continuar lendo

A dúvida de um pequeno empresário: quanto vale minha firma?

Recentemente um pequeno empresário com nove lojas me perguntou: “Quanto vale a minha empresa?” Ele sabe quanto fatura, quanto retira mensalmente para seu sustento, mas não tem noção de quanto vale a sua companhia. Desconhece o valor do seu ganha-pão, embora saiba quanto custa seu carro e seu apartamento. Será tão difícil calcular o valor de um negócio? Será que as métricas de avaliação utilizadas para se calcular o valor justo das empresas negociadas em bolsa servem para estimarmos o preço de uma pequena empresa?

Sim, essas ferramentas podem ser úteis para se avaliar um pequeno negócio. Primeiro, vamos entender como tem se desenvolvido o conceito de valor ao longo do tempo.

Continuar lendo

Quanto vale a minha firma?

Recentemente um pequeno empresário com nove lojas me perguntou: “Quanto vale a minha empresa?” Ele sabe quanto fatura, quanto retira mensalmente para seu sustento, mas não tem noção de quanto vale a sua companhia. Desconhece o valor do seu ganha-pão, embora saiba quanto custa seu carro e seu apartamento. Será tão difícil calcular o valor de um negócio? Será que as métricas de avaliação utilizadas para se calcular o valor justo das empresas negociadas em bolsa servem para estimarmos o preço de uma pequena empresa?

Sim, essas ferramentas podem ser úteis para se avaliar um pequeno negócio. Primeiro, vamos entender como tem se desenvolvido o conceito de valor ao longo do tempo.

Continuar lendo